Imagine o filho que você quer ter para imaginar o pai que você deve ser.


A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas, óculos de sol e área interna

          Todo pai acaba marcando profundamente os filhos de alguma forma. Ele nasceu com essa força heroica para encantá-los pelo resto da vida. Ser pai é um dos maiores dons de Deus.

           Talvez nenhum personagem na estrutura familiar tenha passado por tanta transformação como a figura paterna.

            Imaginou isso já?  Não estou nem mesmo falando na ideologia de gênero, que, dai, por ser concebida para combater o dito machismo, descaracteriza quase que por completo a figura dele na  família.

                                                    

            Afora isso, com o advento de uma economia eivada de complicações, o pai tornou-se uma pessoa bem mais frágil que antes, saindo de provedor absoluto a homem sustentado em certas situações. Sujeito a ceder mais em quase tudo e às interpéries emocionais da movimentação dinâmica do núcleo.  

              Como surgiu a figura do controvertido pãe, surgiu também a superpoderosa mãe/pai. Essa matriarca sim, todas as cargas na manga para ditar as regras. Razão porque em geral acabam pagando com a vida as possibilidades de exercício desse poder.

          Se refletirmos sem hipocrisia  compreendemos que a rejeição do conceito e do papel do pai(homem) e da mãe(mulher)  é um dos fatores causais que retroalimentam a violência doméstica contra a mulher e contra crianças.

          Dia dos pais é dia de poesia. Mas todo dia é dia dos pais, porque todo dia tem um caminho novo a trilhar e um espaço a mais a ocupar.

       Todo dia chega boleto em casa e todo dia produzem-se emoções, sentimentos, percepções, dilemas - a se transformarem em energia vital para virar amor e alimentar o núcleo de convivência dessas pessoas do mesmo sangue reunidas debaixo do mesmo teto com todos que nasceram antes ou depois umas das outras, na hierarquia perfeita do tempo de Deus.

           Cada pai tem sua característica especial, seja pelo jeito meigo e carinhoso ou pelas broncas rigorosas que servem de aprendizado por toda vida. Independente do motivo é inegável a importância deste homem que guia nossos primeiros passos e nos ama incondicionalmente.

             Hoje é dia de falar da regra, vamos deixar as exceções para amanhã? Parabéns, papai.


0 Comentários