Só avançamos na vida, crescemos, se mudamos a partir das nossas personalidades e experiências de vida. 


                 É fundamental fazer uma autoanálise periodicamente para refletirmos sobre onde/como estamos em vários aspectos. 


                 Quem se familiarizar com essas informações, vai estar  melhor preparado  e terá melhores chances de fazer os devidos ajustes no seu dia a dia.


          Temos aqui a oportunidade de visualizar em 4 passos um roteiro para se alcançar com facilidade esse estado de competência interior.


                                        Passo 1


            Gentilmente, descrie o histórico dos traumas e medos implantados na sua mente.

            Reflita sobre as experiências da sua infância. Nem sempre é fácil entender quem somos e por que nos comportamos de determinada maneira e não de outra. 

            Muitos dos fatores que condicionam o comportamento e a autopercepção são resultados de atitudes e crenças do subconsciente. Nesse sentido, é importante refletir bastante para descobrir como você se enxerga nos níveis mais pessoais. 

             Escolha se perguntar agora:

Quando eu era criança, me sentia levado em consideração ou era sempre criticado e/ou ignorado?

As pessoas falavam comigo com respeito ou me ignoravam, criticavam ou tiravam sarro?

Eu recebia o carinho e a atenção que queria ou era deixado de lado?

Eu sofri algum abuso físico, verbal ou sexual?

As minhas conquistas recebiam o devido reconhecimento?

Os meus fracassos eram aceitos ou julgados?

As pessoas sempre esperavam que eu fosse perfeito?




                                    Passo 2


              Crie a pessoa fantástica, esse alguém incrível com a limpeza da energia com você recarrega as baterias do seu viver.

               Registre suas variações de humor. Ande sempre com um diário e faça anotações ao longo do dia sempre que você notar que está passando por alguma mudança. 

               É o primeiro passo para identificar o que a sua voz interior está dizendo.

               Essa voz interior não é a voz que ouvimos na nossa cabeça, mas o conjunto de pensamentos que passam automaticamente pela mente, sem que você perceba. 

              Esses pensamentos costumam estar tão lá no fundo do subconsciente que nós nem sempre os reconhecemos sem ajuda terapêutica, razão pela qual acabamos achando que estamos mudando de humor.

              A voz interior pode nos dizer coisas positivas ou auto depreciativas.

              Quem tem a autoestima saudável costuma ouvir coisas boas, enquanto quem não tem ouve frases críticas e duras.

              Muitas pessoas têm preguiça de escrever em diários, ainda mais quando têm que falar de traumas do passado que ainda não superaram. Mas é uma tarefa fundamental para você descriar o velho em função de criar o novo dentro de si.                       


                                      Passo 3


              Sempre anote o que você pensa. Não é só a rede social que deseja saber o que você está pensando, seu eu interior também. 

             Os pensamentos, sentimentos, sensações, percepções que passam pela sua cabeça e pelo seu corpo/mente podem indicar facilmente o motivo, se detectados antes de cada variação de humor, pois refletem a sua voz interior.

               Eles são chamados de "pensamentos automáticos" e costumam mostrar como nós enxergamos a nós mesmos, os outros e o mundo, também pelas avaliações e comportamentos que saem automaticamente.

              Registre tudo no diário cada vez e tente identificar um padrão.

             Como os pensamentos automáticos surgem no subconsciente, é difícil determinar exatamente quando eles aparecem. 

              Melhor iniciar sempre perguntando: 

              O que me fez me sentir assim? Como pode ser melhor?

             Depois, mergulhe mais fundo nessa pergunta: 

             O que isso diz sobre mim? Por que eu me senti assim? Como pode melhorar?


              As primeiras respostas que surgem costumam ser superficiais. Por isso, não queira uma resposta, mas alimente-se do prazer de perguntar. A reposta quando aparece pode vir em forma de outras perguntas, pois o autoconhecimento por autoanalise é uma missão que jamais se finda. 

            Continue tentando imaginar sua expansão:

           O que mais é possível? 

            Até ver que como tudo vai se extinguindo para longe de você com alegria e facilidade, eliminando a origem dos pensamentos automáticos.

            Depois de repetir esse processo várias vezes, você pode chegar num lugar com uma ideia que sequer reconhecia antes, como:

          Eu posso melhorar, tudo pode melhorar. Meu alvo é a felicidade e não o estado letárgico de perfeição que só ilude  pessoas.

0 Comentários