Divino Pai Eterno. Você pode chama-lo de Abba porque o “Pai é nosso”: "Entrei no Teu jardim/Pra estar contigo, Pai/Sentar naquele banco/Onde me encontrou. Voltei ao Teu jardim/Pra ouvir a Tua voz/A me dizer, me prometer/Que não me abandonará/Não me deixará, me abraçará."





            Abba significa “papai” ou “meu pai querido”. Abba é uma expressão aramaica e o aramaico foi a língua natural de Jesus.


           Essa expressão carrega na essência o grandioso valor do amor fraterno, materializando em palavra o profundo relacionamento entre um pai e um filho.
           

          Isso também expressa e contextualiza  uma profunda amizade intensa nesse mesmo relacionamento.


           O Senhor Jesus, enquanto viveu aqui , misturado com a gente na humanidade, nunca teve dúvidas de que Ele era o filho de Deus.

          
          Por isso, nessa oração, declarou:


          “Não oro somente por estes discípulos, mas igualmente por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai, como Tu estás em mim e Eu em Ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que Tu me enviaste. Eu neles e Tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que Tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim” (João 17.21-23).


             Jesus sabia que era um com o Pai e que essa unidade era forte em amor, era uma relação de profundo amor. Sendo assim, no Getsemâni, antes de ser de fato traído e se entregar nas mãos dos pecadores para ser morto e completar a sua obra, Jesus orou dizendo:


           “Abba, Pai, todas as coisas são possíveis para ti, afasta de mim este cálice; todavia, não seja o que Eu desejo, mas sim o que Tu queres”.


            Um momento de profunda agonia, Lucas declarou que Ele chegou a transpirar sangue (Lucas 22.44), mas mesmo assim Jesus não se esqueceu de quem era e que Ele estava com o seu “pai querido” e o “pai querido” estava com Ele.


           Na mesma passagem do Getsemâni, muitos estudiosos afirmam que tamanha agonia e intensidade na oração era pelo que estava por vir no sentido de sua morte, como um criminoso rejeitado por todos.


          Mas, há tantos outros que afirmam que o que Jesus mesmo temia e sentia nesse momento era o pavor de ficar longe do Pai, como aconteceu de fato por um momento na cruz.


               Por isso, “por volta das três horas da tarde, Jesus clamou com voz forte: ‘Elói, Eloí, lamá sabactani?’, que significa ‘Meu Deus, Meu Deus! Por que me abandonaste?” (Mateus 27.46).


             Pode soar apenas ritualístico aos olhos humanos e limitante. Mas aprendemos que, nesse momento, Deus virou as costas “literalmente” para Jesus, não para o seu filho amado propriamente. Razão pela qual a expressão literalmente está entre aspas, mas pela posição e condição que Ele estava enfrentando no momento, ou seja, O Pai virava as costas para o pecado que estava sobre Ele.


              Esse foi o juízo de Deus e Jesus sentiu todo esse peso na cruz, Jesus não podia suportar a ideia de ficar um instante sequer longe do Pai, pois o Pai era muito querido.


                Todos já sentimos o quanto é triste ficar tempo longe de nosso pai ou ter alguma sensação de perdê-lo.


                Aos Romanos, o apostolo Paulo escreveu: “Pois vós não recebestes um espírito que voz escravize para andardes, uma vez mais, atemorizados, mas recebestes o Espírito que os adota como filhos, por intermédio do qual podemos clamar: ‘Abba, Pai” (8.16).


              Jesus por sua obra salvífica reconciliou a humanidade com o Pai (2ª Coríntios 5.19), nos libertando de nós mesmos e de todo o caos em nós causado pelo pecado e inferno, nos dando o direito de sermos participantes da família do Abba, por toda eternidade.


            Você pode chama-lo de Abba porque o “Pai é nosso”.


            Um dia pediram para Jesus ensinar como orar e ele disse: “Por essa razão, vós orareis: Pai nosso…” (Mateus 6.9).


            Ele poderia dizer: “Orem para o meu Abba”, mas Ele resolveu dizer: “Orem para o nosso Abba”, porque “todos quanto o receberam (Jesus), deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, ou seja, aos que creem no seu Nome” (João 1.12).


          Você pode chama-lo de Abba, o Pai está com você pelo seu Santo Espírito em cada momento, independente das situações e circunstâncias.









0 Comentários