Vamos falar então do Mentoring na Educação? 


             Quando estudamos as competências laboriais e científicas, vemos que mentoring é um termo adaptado/emprestado do universo da administração, que vem sendo aderido fortemente pelo universo da educação.

           Ainda nessa onda do universo corporativo, vamos agora refletir um pouco sobre Mentoring e Coaching. Duas terminologias emprestadas da área da administração de empresas, mas que têm ganhado cada vez mais adeptos no universo da educação.

           O verbete mentoring tem origem na palavra de língua inglesa mentor que significa, segundo o dicionário Michaelis on-line: “mentor, preceptor, conselheiro”. 

         Como a própria tradução pressupõe, mentoring é o profissional que compartilha seus saberes e experiências com o objetivo de aprimorar aquele profissional iniciante.

                No universo corporativo o mentoring é o profissional com sólida experiência, que compartilha seus conhecimentos a fim de elevar o mentorado ao êxito profissional, isso pode ocorrer com um profissional em particular, mas também em instituições
inteiras.

                 

         

                              Explicitando Melhor


18 Pós-Universo Vergara (2010, p. 67) define que “mentoria é a ação de influenciar, aconselhar, ouvir, ajudar a clarificar ideias e a fazer escolhas, guiar. Mentor é aquele que o auxilia a aprender alguma coisa que você, sozinho não poderia aprender ou, pelo menos, teria dificuldade.”

Já Shea (2001, p. 54) defende que “mentoria é um método vasto de encorajamento do desenvolvimento humano, mediante o qual uma das partes investe seu tempo, energia e conhecimento pessoal para prestar assistência ao crescimento e talento de outrem.”

           Agora que compreendemos a terminologia, vamos transpô-la para a realidade do universo da educação? 

          Se nos remetermos a ideia base da terminologia – mentor, conselheiro – fica fácil compreendermos como isso se aplica na educação.

         Muitos de nós tivemos um professor referência, aquele em quem projetávamos nossas maiores expectativas, e quando tínhamos a oportunidade de conversar, um universo se abria diante dos nossos olhos frente aos conhecimentos daquele professor.

           A principal função, por assim dizer, do professor mentoring é a capacidade de estabelecer um elo de confiança com o estudante de tal forma que os conselhos, ensinamentos e orientações sejam apreendidas e transformadas em conhecimentos capazes de aprimorar a prática do mentorado.

            Shea  classifica como competências do mentor:

• Orientar.
• Sugerir.
• Aconselhar.
• Reverter situações.
• Provocar no mentorado a possibilidade de um olhar diferente para o mesmo
problema.
• Fazer o mentorado entrar em contato com seu potencial, sua indentidade, com o que ele ‘é”, e não como ele “faz”.

        
                                                Observação 

         Ressalte-se que para se tornar um professor mentor demanda maturidade emocional e profissional, uma vez que o professor precisa ter consciência de suas potencialidades e principalmente suas limitações para que possa conduzir seu mentorado de
forma a garantir que os equívocos sejam poucos e menorizados.

0 Comentários