Por que há tão pouca união, diálogo e cooperação entre pais e filhos?

             Por que normalmente os filhos não se dão bem com os pais? Vamos buscar um entendimento disso?

             Primeiro, a falta de interesse dos pais em escutar os filhos contribui para esse relacionamento mau sucedido.

             Mas, e os pais que dão atenção em excesso e também acabam colhendo o mesmo resultado?

             Nosso conselho é que  invistam nos interesses em comum com os filhos.

             Seja na infância ou na adolescência, uma hora os conflitos entre pais e filhos aparecem.



             Isso é natural no processo familiar num limite razoável. Porém a culpa nem sempre é dos inexperientes menudos.  

             Os adultos também se acomodam muito e tentam impor uma autoridade que a vezes não souberam construir. nessa história.

             Sabe quando seu filho, justo naquela hora que você chama de sua, vem do nada para falar sobre um acontecimento da escola, mas você nem liga, porque se dá o direito de não lhe dar atenção?

             Ou, ainda, quando a criança quer brincar, mas você prefere colocar um vídeo para ela assistir? Esses são exemplos de quando os pais deixam a desejar na educação.

        A psicóloga Priscila Dela Libera, especialista em Análise do Comportamento em Criança e Adolescente da USP (Universidade de São Paulo), numa entrevista recente no portal da Canção Nova que alerta que “atenção em excesso também pode atrapalhar!”

       A psicóloga explica que “uma pessoa que sempre fica em cima do filho e que não sabe respeitar seu espaço com certeza criará um inconveniente”.

       Como diz São Bento, a solução está no meio, pouco no muito e muito no pouco. Ter o equilíbrio entre dar a atenção e saber respeitar o espaço do outro é de extrema relevância na educação dos filhos.


0 Comentários