Você não é responsável pelo que dizem de você, mas é responsável pelo modo como lida com isso

Estou passando por um processo interessante de expansão da consciência. Passo muito tempo estudando livros, assistindo palestras e filmes sobre o tema.

Algumas das inúmeras consequências deste processo específico é o aumento do magnetismo pessoal, melhora da saúde física e mental, alegria genuína e constante, equilíbrio. Então, sim, as pessoas reparam mais em você. Seja para bem ou para o contrário.

Enquanto muitos dizem coisas do tipo “como você está mais bonita”, “seus textos estão incríveis”, “você está produzindo cada vez melhor”, “sua postura mudou para melhor”, “sua pele está ótima”, “eu aprendo muito com você”… outras implicam com meus horários, roupas, fazem suposições sobre minha vida particular, inventam mentiras, fazem piadas de mau gosto.

Sinceramente, isso não me afeta. Aprendi que todas as coisas são neutras e somos nós quem damos significado a elas.
Mas, como escritora e cocriadora consciente, observo todas as coisas que acontecem à minha volta e me coloco no lugar da pessoa, busco o motivo da situação e aprendo com aquilo.

Muitas vezes, mesmo sem querer, desagradamos a algumas pessoas e devemos corrigir isso, mas, em outras situações, as pessoas veem em nós tudo o que gostariam de ser, ter ou fazer, mas, por algum motivo, não conseguem. Então, quando a pessoa não consegue lidar positivamente com isso, quando tem um padrão vibratório muito baixo, usa dos artifícios mais inacreditáveis para tentar destruir aquilo que não pode ser.



Eu já vi gente fazer coisas absurdas para destruir a felicidade de outras pessoas: interferir no casamento ou namoro da pessoa, prejudicar no trabalho, fazer fofocas com a família, etc.

Com essas pessoas, além de aprender a não ser como elas, aprendi que quanto mais feliz a pessoa é ou parece ser, mais as incomoda. Sim, isso se chama inveja.
Como lidar com essa situação? A pessoa que critica minhas roupas, e inventou algumas mentiras, foi à loja onde compro minhas peças para saber o preço, mudou o cabelo para parecer com o meu e há anos faz o papel de vítima para obter atenção e outros benefícios, além de ter baixa autoestima. E quando viu que eu não comentava mais sobre minha vida pessoal com ela, passou a tentar me denegrir. O colega que questiona meus horários, há anos está infeliz com o casamento e o trabalho. Não consegue se realizar em nenhuma área mas, nunca me viu reclamar do que faço, triste ou aborrecida. Então, projetou em mim suas mágoas. Nenhuma dessas pessoas têm problema comigo. Elas têm problemas consigo mesmas.

0 Comentários