Sabe quando a sua mãe diz para você, quem sabe, que o seu amigo talvez não seja tão bom assim para você? Siga seus conselhos!

                                                       
            Torcida pelo final feliz de Neymar dentro e fora de campo na Copa America   

       
        O que ouvimos na infância de nossa mãe, quase tudo ainda continua valendo: “nessa vida, quase sempre quem sai na rua sem juízo, ali aquele que não tem problema, arranja.”


         Estamos diante de um problema policial arranjado para ele mesmo por ele mesmo, sendo o próprio um dos maiores jogadores do mundo. Um moço que sabe pouco de diversão e de farra porque passou a vida para ir além do que foi até agora.

        Neymar Jr naquela situação passeando ao léu na rua deveria estar com a cabeça direcionada apenas para isso: arrumar um problema.

        Que triste problema ele tem agora.

        Assim foi com Mike Tyson, com Cristiano Ronaldo. Com todo mundo. Precisavam de localizar um chifre na cabeça de um cavalo alado e encontraram. 

                                                

        Já que não está na fila dos mutuários renegociando suas prestações atrasadas com a CEF, não faz parte da estatística dos 13 milhões de desempregados, não consta seu nome no SERASA nem no SPC; o limite do seu cartão de crédito não parece estourado e seu emprego não sofre ameaça de extinção. 

          Talvez, prodigio pela habilidade com a bola e predestinado pelo sorriso da sorte, ele desejasse compreensivelmente conhecer a vida como ela é.
      
          Entediado, Neymar olha o horizonte e só vê um problema que, se ganhar ele sai carregado do campo e aceita de bom grado o brilho dos holofotes com entrevistas e contratos de publicidade – e se perder sai com os próprios pés, no seu carro mesmo e vai para algum lugar ser acariciado e comer do bom e do melhor.

        Merece, afinal a carreira de jogador é curta e de bom jogador mais curta ainda. Tudo muito fugaz, a fama de bom moço, por exemplo, vai indo nessa como fumaça. 

        Então ele precisava de um. E agora ele tem.

        Neymar não é só o ídolo, mas a paixão, o exemplo da garotada. Para ele cair em tentação pode custar bem mais caro que para o meu vizinho indiscreto que assovia para a mocinha transeunte.

        Mas o show tem que continuar e Neymar está no centro dele, independente disso é fundamental que nada disso chegue a ser provado e que todos voltem para casa sem se machcar. Embora isso pareça algo bem 
inusitado se acontecer.

0 Comentários