Eu mesmo compus algumas canções com letras pacifistas  inspiradas totalmente nos artigos e pronunciamentos desse que foi um referencial para toda a nossa geração pós guerra. Jonh Lennon e os Betles, acho que representam a expressão máxima desse movimento, como também Elvis Presley que tinha mais pose que entendimento, mais desejo e ilusão, pois não tinha liberdade comercial para agir em causas que pudessem ferir algum poder político.


                                           BERTRAND RUSSELL
       
Tive a sorte de conhecer as obras de Bertrand Russell com o filósofo Carlos Lopes de Mattos em Capivari-SP.



        O fabuloso autor deste livro atravessa os tempos ajudando a humanidade a pensar de forma inteligente nesses três pilares do entendimento humano: a Religião, a Filosofia e a Ciência.

    Bertrand Russell  nasceu em 1872 e morreu em 1970 continuando sendo um dos mais influentes filósofos e matemáticos do século XX a influenciar decisivamente no futuro da inteligência humana.

           Além de eminente divulgador da Filosofia e das ciências em geral, foi também ativista político, posicionando-se contra a participação da Inglaterra na Primeira Guerra Mundial.

                           

           Na desastrosa efeméride Russel manifestou-se publicamente contra o emprego de armas nucleares e organizou, na década de 1960, junto com Jean-Paul Sartre, um tribunal para julgamento dos crimes de guerra dos EUA no Vietnã — o Tribunal Russell.

       Eu mesmo, jovem cabeludo, nada a perder, idealista e sonhador, pessoalmente com meu violão compus várias canções com letras pacifistas  inspiradas totalmente nos artigos e pronunciamentos desse que foi um referencial para toda a nossa geração pós guerra. 

              Jonh Lennon e os Betles, representam a expressão máxima desse movimento, como também Elvis Presley que tinha mais pose que entendimento, mas desejo que liberdade para agir em causas que pudessem ferir algum poder político.

          Com essas canções participei de inúmeros festivais de musica livre no Brasil em parceria com jovens  que hoje são grandes nomes  na história da MPB. Uma delas foi Hiroshima, com a qual ganhei o Festival de Musica Livre em Taubaté escalado regionalmente pela extinta TV Tupy hoje SBT. Recebi o premio das mãos do Renato Teixeira e Emilinha Borba. Nela eu dizia um verso do Russel: "matar não é crime, mas sim o perdão".

                Por feitos assim, foi incrível, quando lendo a biografia do mito eu soube que Russel em 1950 já havia sido reconhecido também como escritor humanista, recebendo o Prêmio Nobel de Literatura por "reconhecimento de sua obra variada e significativa em prol dos ideais humanistas e da liberdade de pensamento".

              Tanto Russel quanto Sartre foram dois heróis para mim. Nem sei como entre quatro paredes de um orfanato no interior eu podia gostar tanto de pensar e fixar meus olhares para o lado pacificador humanista europeu da construção das relações humanas e internacionais. 

              Saber não sei, mas imagino. Talvez também seja um pouco por causa da escola que ensinava religião, história e Francês. Outro pouco pela abertura humanóide de alguns expoentes norte americanos como John F. Kennedy, Jimmy Carter. 

           Sei só que até leite em pó delicioso em enorme quantidade vinha dos Estados Unidos em enormes caixas de papelão lindamente impressas com a inscrição "ALIANÇA PARA O PROGRESSO". 

       Era uma aliança até muito melhor que essa que Jair Bolsonaro está doido para fazer com Donald Trump. A que Fernando Henrique fez com Clinton, que Lula também fez com Barack Obama e Hilary. 

     Com os Estados Unidos você ganha mas não leva, porque americano é como escorpião, se não ferrar não cumpre a função precípua de seu instinto dominador, egoísta e rancoroso.  

       Mas quero assim dizer que nossos gritos pacifistas ensinados por Russel e Sartre ecoaram na casa do Tio Sam e chegaram a incomodar a Casa Branca. 

         Para sair dessa água com açúcar  lembro que toda aliança Brasil Estados Unidos nunca é para ajudar o Brasil, nem apenas para combater os progressistas porque desejam criar a ORDEM E O PROGRESSO em proporção invertida, mas é sempre porque querem levar nossas riquezas embora, explorar a preço de banana tudo que temos e somos nesse imenso País Tropical abençoado por Deus e bonito por natureza. 

        

0 Comentários