Içami Tiba dizia que “se uma criança não aprender a  respeitar os pais e avós nunca saberá respeitar ninguém no mundo.”






         A geração Y vive de forma totalmente diferente, pois já nasceu num mundo tecnológico em que tudo acontece – e muda  com muita rapidez.

           Os pais podem encontrar uma alguma dificuldade em educar os filhos da nova geração, porque esses jovens estão em contato com muitos estímulos diferentes e vivem uma realidade super desconhecida para as pessoas que nasceram antes.

         Há pais que optam por ser liberais e permitir que seus filhos possam escolher o que quiserem, que vivam com mais independência. Porém, é preciso ter muito cuidado para não confundir liberdade com desorientação.

          Um dos princípios fundamentais para a criação de pessoas, desde os tempos mais antigos até hoje, é o respeito.

“Uma criança que não respeita seus pais e avós, não respeitará ninguém. Tornar-se-á  um adulto egoísta, prepotente e, como consequência, solitário”, dizia o pedagogo Içami Tiba.

           A tarefa de educar filho não é simples, mas cabe aos ao pai e à mãe incentivar desde cedo um relacionamento saudável entre a criança e as suas emoções, para que ela conheça bem a si mesma e saiba identificar qual a maneira certa de tratar todos aqueles ao seu redor.

     A infância e a adolescência são tempos de curiosidades e descobertas e é também nessas fases que desenvolvem a personalidade e caráter, por isso precisam de uma orientação consciente e responsável, originada da família. Elas devem aprender a escutar, obedecer e respeitar.




       É nesse pormenor que a teoria da Constelação Familiar pode ser extremamente útil, pela forma como entende o lugar de cada um na família e mundo, a ordem, o amor, o perdão.

      Muitas vezes, até com certo exagero, permitimos que nossos filhos ou netos tenham suas vontades atendidas, porque sentimos pena de dizer-lhes não ou porque sentimos culpa, que devemos isso a eles, no afã de compensar algum erro que cometemos ou a ausência no esforço de viver a nossa própria vida.

      No entanto, a permissividade nunca será uma boa moeda de troca, porque os seus resultados são bem desastrosos. Os jovens baseiam-se em nossos ensinamentos e exemplos para moldarem os seus próprios comportamentos, por isso devemos agir sempre com muita cautela, quando se trata de oferecer conselhos ou de ajudá-los a encontrar o próprio caminho pela vida.

       Ainda que em muitos momentos percamos a paciência ou nos cansemos, precisamos demonstrar exatamente a conduta que desejamos que eles adotem.

    Se quisermos educar filhos respeitosos, humildes e bons, precisamos primeiro nos tornar essas pessoas. Se quisermos que sejam exemplos, precisamos primeiro ser boas influências em suas vidas. Tudo começa em nós.

        A forma como nossos filhos crescem está inteiramente ligada a como foram criados. 

0 Comentários