Uma história linda contada de jeito feio, acho: ‘Levei 20 anos para dar virada no negócio’, diz doceira retratada na novela A DONA DO PEDAÇO.
Uma pessoa sem cárater não tem personalidade. você pode ser pobre, mas se tiver caráter se torna rico! Walcyr Carrasco foi procurar e encontrou numa pessoa comum o enredo necessário para mostrá-la como uma pessoa bem pessoal. Histórias de sucesso muitas vezes se confundem com trajetórias de superação e resiliência. Não por acaso muitas delas já se tornaram filmes e conquistaram crítica e público. No caso de Cleusa Maria da Silva, fundadora da Sodiê Doces, sua história rendeu uma novela em horário nobre na Globo. A confeiteira e empresária Maria da Paz, personagem da atriz Juliana Paes em “A Dona do Pedaço”, folhetim das 21h, tem forte inspiração em Cleusa. Conheço a cidade de Salto, ali nas imediações de Itu-Campinas-Indiatuba-Itaici (de Viracopos a Capivari passava-se muito por ali), um lugar lindo onde o loiro monsenhor Mario Negro criou menores de rua e recebeu diversos shows beneficientes do rei Roberto Carlos, a meu pedido, inclusive, como herdeiro moral de Fred Jorge no ambiente da Jovem Guarda. Pela região vive a irmã da Ivone Kassu lindona, por ali nasceu e se criou Ivone Kassu a maior parceira promouter do Roberto Carlos até a morte. Salto é interiorana, muitos ficam triliardários por lá cada quando em vez espaçadíssimos. Mas com o perfil da dona Cleusa, só mesmo par quem consegue se sentir dona do pedaço. Dizem por lá que a história dessa empresária nao foi bem assim, aliás tão violento. Mas eu não gosto muito de ver como novelas enfocam a vida dos pobres em seus roteiros, principalmente no quesito mal caratismo e falta de princípios. Ex-Foram dez anos com apenas uma loja, a matriz em Salto, até abrir a primeira franquia, em São Paulo. Daí, em dois anos, Cleusa já tinha 50 franqueados. E a vida real superou a ficção. A marca Bolos da Paz, da novela, está prestes a abrir a 23ª confeitaria. Já a Sodiê acumula 314 lojas em 13 Estados.
boia-fria natural de Salto (SP), Cleusa também foi empregada doméstica e começou de forma simples, vendendo fatias de bolo, como a personagem Maria da Paz. Depois de um intervalo de 20 anos, surge a empresária bem sucedida. “Eu também levei 20 anos para dar essa virada. Começar do nada e chegar aonde eu cheguei, nem em sonho pensei que isso fosse acontecer.” Foram dez anos com apenas uma loja, a matriz em Salto, até abrir a primeira franquia, em São Paulo. Daí, em dois anos, Cleusa já tinha 50 franqueados. E a vida real superou a ficção. A marca Bolos da Paz, da novela, está prestes a abrir a 23ª confeitaria. Já a Sodiê acumula 314 lojas em 13 Estados. Destes endereços, quatro tem Cleusa na sociedade, o resto é franquia. Para abrir uma franquia Sodiê, marca que faturou R$ 290 milhões em 2018, é necessário investimento de R$ 450 mil (sendo R$ 60 mil de taxa de franquia). A falta de amor é a pior de todas as pobrezas.Pode mostrar que ela alcançou o quanto de dinheiro e poder que for na trama, Walcyr está dando enfase exagerando no lado violento da conversa, no lado traíra de uma filha e na tragédia de que ter dinheiro é periogoso. Tudo que não se deve dizer ao pobre. Só uma coisa valeu, a propseridade seria muito acima disso caso a carência afetiva, a prepoptência de caráter e a segurança psicológica pudessem vir junto com alguém que enriquece. Vamos ver se isso ainda vai aparecer? Só desejo que você não seja mais um a girar o controle remoto antes.

0 Comentários