O que viralizou mesmo na rede foi essa desconfortável sensação comum de perda do controle (e paciência) nas relações emissor-meio-mensagem-receptor- no armazenamento na caixa direta, principalmente no WhatsApp, que hoje ocupa o primeiro lugar no ranking das redes sociais usadas para alcançar objetivos com mensagens diretas e controláveis.

                                           



     Visualizar uma mensagem de uma pessoa próxima e não responder em 24 horas, caso você não tenha sido sequestrado por algum troglodita hibernado, é falta de educação e quer dizer, sabe o que? “Não estou nem ai, não me importo com você.”
     Triste né? Já dizia Isolda, minha velha e sempre amada amiga, que, recentemente, nos deixou órfãos de sua ternura e interpretações poéticas da vida. Até o rei Roberto Carlos tem confessado sentir bastante falta dela, que recheou sua brilhante carreira com tantas canções inebriantes e com tanto amor inesquecível.
    Uma das canções reza assim: “virei homem calado e até desconfiado, procuro andar direito e ter os pés no chão, mas certas coisas sempre me chamam atenção e ai emenda o refrão: “será que tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda”? No caso aqui visualizar e não responder dá um bagunça semelhante .
       Engana-se quem acha que o incômodo é referente apenas ao jogo da paquera e relacionamentos amorosos.
      Há situações de cobrança, de proposta de negócio, de encontro profissional marcado que se complicam absurdamente por causa desse hábito que algumas pessoas cultivam; vi casos de amizades que se estremeceram e claro, amorosos, puxam o ranking.
       Porém, sensatez à parte, é preciso reconhecer que o outro não está no mundo para atender nossas expectativas e que não tem a obrigação de responder algo no tempo que estabelecemos ára nós e por isso nos sentimos no direito de muito mais que esperar, porque precisamos, exigimos com força.
     Entendamos para o nosso próprio bem que a nossa ansiedade é problema nosso  ou no máximo do nosso terapeuta. O resto do mundo segue o seu curso normal.
     Você também, se fosse responder de pronto a todas as mensagens que recebe o tempo todo, conseguiria fazer outra coisa na vida?
      Mas ainda resta essa pergunta na hora da irritação: por que o ser humano visualiza se ele SABE que não terá tempo de responder naquele momento? Se ele SABE que não tem uma resposta satisfatória para dar e que não vai responder nada?
     Visualizar uma mensagem de uma pessoa próxima e não respondê-la em 24 horas é, sim, no mínimo deselegante, falta de respeito. É tratar o outro como se a vida dele fosse menos importante que a sua, como se ele fosse um poste sem luz numa estrada deserta. Falei no mínimo.
     Salvo raras exceções, como de pessoas que perseguem, enchem o saco, falam demais, perturbam, cobram, solicitam nossa atenção em momentos inapropriados, enviam milhões de mensagens repetitivas, pessoas que sequer conhecemos direito. Essas, convenhamos, já deveriam estar bloqueadas.
      Às vezes sim, acontece. Não temos tempo mesmo para responder, só para olhar. Não dá para operacionalizar na hora e forçosamente deixamos para mais tarde.
     De mais tarde vira nunca e acabamos nos esquecendo quando nos damos conta de que o assunto não era lá tão urgente. Há também a chance da necessidade de precisarmos  refletir melhor sobre a mensagem que recebemos para responder com calma e propriedade.
         Porém, algumas pessoas fazem disso uma prática diária, um hábito, quase um modus operandi, um estilo de vida.
        Num próximo post do blog vou apresentar o suposto perfil dessas pessoas e as tiradas filosóficas de quem amarga na real o prejuízo dessa forma tão estranha de deixar rolar nas cosas dos outros.

0 Comentários