Há certos valores que devemos aos outros e alguns bem sérios que devemos a nós mesmos.  



          Diz-se que Deus perdoa sempre, o ser humano perdoa as vezes e a natureza nunca perdoa.
          Portanto as dívidas da gente com a gente mesmo é muito provável que não estejam inclusas no Pai Nosso, mas na oração de extrema unção ou recomendação do corpo.
           Primeira dívida que temos conosco mesmo é liberar o perdão, independente da ferida, da causa da mágoa, perdoar é o melhor remédio.
          Segunda, viver em estado de gratidão,  agradecimento, graça. Ser grat(a)os é uma das experiências mais importantes que podemos ter na vida.    
         Facilmente somos levados pela ambição ou ganância, tragados pelo desejo de ter mais e mais (dinheiro, prestigio, fama, poder, cultura), até quem sabe de ser mais (inteligente, compreendido, amado, perdoado, santo mas de forma individualizada. Mesmo que para isso precisamos de novo de quer mais dinheiro, mais coisas, mais carros, mais casas, mais de tudo. É tão bom quando você consegue agradecer pelas  coisas que tem e não se queixar ou se frustrar pelo que ainda não tem.

       Terceira dívida que você tem consigo mesmo é desfrutar da vida sem hesitação a cada momento, desde o amanhecer. 
       Infeliz de quem não aprecia a vida nova que se irradia no momento quando desperta. Não dá tempo de perceber a imensa novidade e a grande notícia que é ter a oportunidade de construir outros atos e fatos pra uma vida nova e diferente. Dizem os especialistas que são as  manhãs “definem o tom para o resto do dia”.  Nada de acordar de mau humor, esquecer de orar, rezar ou menditar/mentalizar, escovar os dentes de qualquer forma e sair correndo, queimando a respiração e engolindo o café da manhã como se fosse qualquer coisa na ordem do dia.
        Quarta dívida, pessoa, que você deve pagar urgentemente se estiver as sim devendo como eu, é prestar atenção a cada movimento da vida e reservar tempo para você mesma(o).
        Dedique algum tempo todos os dias para si mesma(o). Acaricie-se ao se banhar, olhe-se no espelho com gratidão e ternura, observe-se nas atitudes, pense a vida a partir de você e crie um mundo em que você esteja nele como protagonista de uma história e atue com felicidade. Alongue músculos, faça um pouco de meditação, ou dê um passeio qualquer por ai. Evite fazer todo dia a mesma coisa do mesmo jeito.  Você deve para você o prazer da surpresa e expectativas.

        Quinto cuidado pessoa que você deve a si mesmo é comer sempre coisas gostosas, saborosas e saudáveis
        Comer é uma coisa que mais dá prazer à vida. A boa comida ajuda a regenerar o seu corpo, limpar as células velhas inaugurando outras intactas. Dizem com razão que “você é o que você come”, pense nisso sempre com total certeza. Você literalmente é o que você come. Você deve a si mesmo comer bem, nutritivamente e gostoso.

        A sexta dívida, pessoa, vamos lá, depende de um pouco mais de empenho. Nunca desista de agir, de se mexer, de andar por ai, de saracotear, de movimentar o corpo e a mente, seja ativa(o).
         Faça alguma coisa, caminhe, jogue xadrez baralho qualquer coisa, faça artesanato. Só não deixe o corpo e a mente inativos.

       Sexta dívida auto imposta é descansar, se curtir amorosamente por alguns dias consecutivos. Dê tempo de caridade e conforto a si mesma(o), a fim de fortalecer a sua saúde mental.

       Sétima dívida que você tem consigo de pagamento indispensável é namorar. Parece até meio óbvia mas no fundo pouca gente de meia idade para frente leva tão a sério quanto deveria.

        Oitava dívida é buscar aquilo com que radialistas encerram seus programas em quase todo Brasil há mais três décadas, que é ser “todos os dias por todos os pontos de vista ser cada vez melhor” e mais feliz. Você deve tudo isso para você mesma(o). O cobrador será a saúde e a sua felicidade via correio boleto do tempo.

0 Comentários